Malalinha no teatro

A peça infantojuvenil “Malala, a menina que queria ir para a escola” está em cartaz até o dia 27 de outubro no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo, e é a primeira adaptação teatral do livro-reportagem da jornalista Adriana Carranca, uma amiga muito querida, com uma trajetória profissional voltada para temas ligados à educação e direitos humanos, principalmente. A ideia foi da atriz Tatiana Quadros e a montagem tem direção de Renato Carrera, adaptação de Rafael Souza-Ribeiro e canções originais de Adriana Calcanhotto.

A história conta a viagem da jornalista Adriana Carranca ao Paquistão, dias depois do atentado à vida de Malala por membros do Talibã, por defender o direito de meninas à educação A estreia foi em 2018, no Teatro Sesc Ginástico – Rio de Janeiro, passando depois por escolas e temporadas em outras cidades.

No livro, Adriana relata os desafios para chegar até o Vale do Swat, terra natal de Malala, um vale de extraordinária beleza no interior do Paquistão, território proibido para jornalistas. Vestida como as mulheres do Vale,  ela circula pelas ruas da cidade, se hospeda na casa de moradores locais, conhece as amigas de Malala, sua escola e até mesmo a casa onde morava.

Publicado em 2015, o livro-reportagem “Malala, a menina que queria ir para a escola” foi vencedor do Prêmio FNLIJ, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil nas categorias Escritora Revelação e Livro Informativo. A obra também foi recomendada pela FNLIJ para adoção nas escolas. Lançado em Portugal e em todos os países da América Latina, em breve o livro ganhará uma tradução para o alemão, turco e urdu.

Quando resolveu escrever sobre essa viagem, Adriana pensou que era uma história inspiradora para os pequenos, por Malala ser apenas uma menina, uma jovem de uma zona tribal que acreditou nos seus sonhos. “Por ser uma história de amor a escola, aos professores e aos livros, eu queria muito que as crianças brasileiras também acreditassem que é possível mudar o mundo.”

Malala Yousafzai nasceu em Mingora, a maior cidade do Vale do Swat, na província de Khyber-Pakhtunkhwa do Paquistão, e cresceu entre os corredores da escola de seu pai, Ziauddin Yousafzai, e era uma das primeiras alunas da classe. Quando tinha dez anos viu sua cidade ser controlada por um grupo chamado Talibã. Proibiram a música e a dança, baniram as mulheres das ruas e determinaram que somente os meninos poderiam estudar. Mas Malala foi ensinada desde pequena a defender aquilo em que acreditava e lutou pelo direito de continuar estudando.

 Usando um pseudônimo, tornou-se correspondente da BBC, através de um blog onde relatava ao mundo o impacto diário do Talibã no Vale do Swat, denunciando o regime de opressão medieval, em choque com os mais elementares princípios dos direitos humanos. Ela fez das palavras sua arma.  Em 9 de outubro de 2012, aos 15 anos, quando voltava de ônibus da escola, sofreu um atentado a tiro, em retaliação a sua luta pelo direito feminino à educação. Em seu discurso na ONU – primeira aparição publica após o atentado – Malala prometeu que não seria silenciada e afirmou: “A caneta é mais poderosa que a espada”.

Adriana Carranca veio de Nova Iorque, onde está morando atualmente, para a estreia. Eu que a conheço bem, sei que ficou um pouco incomodada por ser o centro da montagem, mas na verdade é a adaptação do livro e o entusiasmo e o envolvimento das crianças na plateia provaram que funcionou muito bem e cumpriu seu objetivo.

Adriana é colunista do jornal O Globo, comentarista do programa Pelo Mundo da Rádio CBN, além de colaborar com publicações internacionais. Escreve principalmente sobre conflitos, tolerância religiosa e direitos humanos, com olhar especial sobre a condição das mulheres. Agora vamos torcer para que venham os novos projetos de livros que ela têm.

 “Malala, a menina que queria ir para a escola”

De Adriana Carranca 

Adaptação: Rafael Souza-Ribeiro

Direção: Renato Carrera  

Canções Originais: Adriana Calcanhotto 

Elenco: Adassa Martins, Dulce Penna, Fernanda Sal, Ivson Rainero, José Karini, Ricardo Lopes, Patrícia Garcia e Tatiana Quadros & o músico Adriano Sampaio com percussão original.

Espetáculo: “Malala, a menina que queria ir para a escola”

Local: TEATRO PROCÓPIO FERREIRA

Endereço: Rua Augusta, 2.823 – Cerqueira César – São Paulo – SP

Temporada: 14 de setembro a 27 de outubro de 2019

Horários: sábados e domingos, às 15h.

Ingressos: R$ 90 inteira, R$ 45 meia-entrada

Informações:  (11) 3083.4475

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close